Gravado ao vivo no Concerto de Improvisação Livre no Instituto Superior Técnico em 2009

Registo de um concerto irrepetível, no Instituto Superior Técnico, em
2009. António Pinho Vargas toca em improvisação total, um desafio levado
a cabo com mestria e aplauso do público. Uma obra rara e imperdível.

“A forma como toquei – improvisação total – não penso ser capaz de repetir.”

“(…) numa improvisação, estou dentro do tempo, do tempo real, e uma
vez tomada uma opção, ela é realizada imediatamente, e, como tal, tem
que ser integrada no discurso. (…) Nesta dialéctica entre o conhecido e
o desconhecido intervêm o corpo – e a alma – e os seus diversos
impulsos.”

“Porque é que gosto tanto deste disco? Porque, sendo provavelmente o
último que terei gravado, tem coisas – modos de tocar, para simplificar –
que fiz há muito tempo mas, nunca tendo sido gravado, iriam ficar sem
registo. Assim, como tive a sorte do concerto me ter corrido bem e estar a ser gravado, vai ficar nele – e só nele – uma parte da vida (que foi
como foi).”

António Pinho Vargas

“Oscilando entre territórios familiares e aventuras por outras paragens, as criações cuja memória se perpetua neste CD resultam também
de um acto de coragem. Um concerto a solo inteiramente improvisado é um exercício sem rede que tanto pode ser fatal como gerar boas surpresas. Felizmente, este é um exemplo do segundo caso.”

Cristina Fernandes

Ípsilon, 6 de Julho de 2012

LAMENTOS (Artway) Prémio Play Melhor Album Música Clássica/Erudita (2024) (2023) | MAGNIFICAT / DE PROFUNDIS (Warner) (2017) | CONCERTO PARA VIOLINO (mpmp) (2017) | 'Six Portaits of Pain' Pavel Gomziakov, Pedro Amaral & Metropolitana (2016) | Orquestra do Hot Clube de Portugal A música de António Pinho Vargas (2016) | OS DIAS LEVANTADOS (reeditado na Naxos) (2015) | Verses and Nocturnes reeditado na Naxos (2015) | REQUIEM & JUDAS, Coro e Orquestra Gulbenkian (Naxos) (2014) | STEP BY STEP Drumming dir. Miquel Bernat (2013) | OUTRO FIM (Culturgest, Dargil) (2013) | IMPROVISAÇÕES (2011) | Três Fragmentos, Victor Pereira, clarinete Movimentos (2010) | Quatro Novos Fragmentos III (para violoncelo e piano) (2010) | Stabat Mater para coro, violino e piano (2010) | Três Fragmentos Nuno Pinto, Clarinete Solo (2009) | SOLO II (2009) | SOLO (2008) | Graffiti [just Forms], Six Portraits of Pain, Acting Out (2008) | OS DIAS LEVANTADOS (2003) | 'Quatro ou Cinco Movimentos Fugidios da Água' FIMPV (2003) | Dois Violinos para Carlos Paredes - in Movimentos Perpétuos (2003) | Royal Scottish Academy Brass – ‘Two Family Discussions ‘ (2003) | The Galliard Ensemble - ‘Três Fragmentos’ (2003) | VERSOS (2001) | Arditti String Quartet - ‘Monodia quasi un requiem’ (2001) | Madalena Soveral – ‘Mirrors’ (2001) | AS MÃOS, O MELHOR DE ANTÓNIO PINHO VARGAS (1998) | A LUZ E A ESCURIDÃO (1996) | MONODIA (Warner) (1994) | SELOS E BORBOLETAS (1991) | OS JOGOS DO MUNDO (1989) | AS FOLHAS NOVAS MUDAM DE COR (1987) | CORES E AROMAS (1985) | OUTROS LUGARES (1983)